• Decifrando a linguagem do corpo

    O corpo tem uma sabedoria própria que sabe exatamente o que está errado e como consertá-lo. As dores fazem parte do sistema de alerta para indicar que algo não vai bem. Por isso é fundamental escutar o que seu corpo tem a dizer a você, ele sabe melhor do que ninguém o que deve ser feito para colocar tudo em ordem.

    Hábitos, pensamentos e emoções inadequadas e por um longo período, causam desequilíbrios, gerando doenças físicas e psicológicas, como já falamos em outros artigos. Então, cada sintoma nos chama a atenção para algum aspecto que devemos analisar e mudar.

    Caso optemos apenas por tratarmos os sintomas e não buscarmos a causa, não estaremos limpando a nossa casa interior, apenas jogando sujeira embaixo do tapete e um dia não haverá mais lugar para escondê-la e ela irá inevitavelmente aparecer.

    Assim é fundamental aprendermos com as dores, doenças e sofrimentos. Sejamos gratos a eles, sem rancores, mágoas, tristezas ou ressentimentos, pois são nossos professores.

    Aprendamos assim a olhar com boa vontade e humildade para nossas deficiências, colocando-nos sempre em posição daquele que está a aprender, nunca daquele que ensina.

    Vamos estão compreender um pouco esta linguagem:

    Alergia de pele e coceiras: significa que está insatisfeito e irritado, geralmente no lar. Desejo inconsciente de arrancar aquilo que o incomoda e vontade de sair daquela situação de qualquer jeito, fugir.

    Labirintite: Significa pensamentos confusos, nervosismo reprimido, desejo de liberdade para pensar e agir, senti-se solitário e não amado. Insisti em continuar nos velhos erros. Medo de tentar algo novo.

    Dores agudas: Culpa, auto punição.

    Dores Crônicas: Desejo de ser amado.

    Dores de cabeça: As pessoas que sofrem de enxaqueca precisam trabalhar o orgulho, inflexibilidade e autocrítica. Geralmente não aceitam que pessoas autoritárias a controlem. São pessoas que não se permitem ter prazer e geralmente tem medos associados ao sexo.

    Sinusite: é sinal de que sente raiva de alguém muito próximo e não quer nem respirar o mesmo ar que ela respira.

    Dores nas pernas: a coxa simboliza o passado, o joelho o presente e a perna o futuro. Problemas nos joelhos indicam que você não consegue ser flexível e aceitar opiniões alheias. Suportam contrariedades, se anulam e não se respeitam. Guardam as críticas e desapontamentos.

    Dores no pescoço: simboliza inflexibilidade e autocobrança. Tem opiniões rígidas e dificuldade de mudar hábitos. Geralmente são perfeccionistas e teimosas.

    Diabetes: Tristeza profunda, não resta nenhuma doçura em sua vida. Muitas decepções.

    Excesso de peso: a gordura é uma proteção. Sente-se inseguro e desprotegido. Não confia na proteção divina. Quanto mais você engolir os dissabores da vida, mais seu corpo engodará.

    Poderíamos dar muitos outros exemplos, mas se alguém quiser saber mais, leia o livro: Você pode curar sua vida, de Louise Hay. Esta linguagem foi decifrada por meio de estudos de inúmeros casos durante décadas, fazendo uma correlação entre as doenças e aspectos, psíquicos, emocionais e comportamentais destes pacientes. A Dra. Louise Hay é uma das maiores estudiosas desta linguagem na atualidade.

    Durante anos de atendimentos clínicos, pude constatar a veracidade desta linguagem e que por meio da técnica de biofeedback podíamos nos comunicar com esta sabedoria do corpo e auxiliar o paciente a compreender melhor estes sinais e orientá-los. Seguindo a orientação desta sabedoria é possível fazer uma reprogramação física e psicológica. Mais informações: 62 9249-0464 / 3088-5558.

    Muitas terapias complementares como BodyTalk, Psych-K, Balanceamento Muscular, trabalham com o biofeedback e reprogramação, seguindo estas orientações corretamente, pode-se promover o estado de saúde. Deixando bem claro que o paciente na verdade deve ser o agente ativo neste processo, para que ele alcance este estado de equilíbrio.

    Procure então ouvir a linguagem do seu corpo, ele sempre quer o melhor pra você e nunca se engana. Pratique meditação diariamente e aprenda a conversar com ele, emitindo sentimentos de gratidão e respeito, praticando exercícios adequadamente, uma alimentação balanceada, evitando alimentos industrializados e ele saberá lhe retribuir!

    Myrella Brasil

    Publicado dia 28 de junho de 2012, no Diário da Manhã

Deixe uma resposta