• Desejo por dias melhores

    Que ao acontecerem tragédias como esta de Santa Maria, possamos nos comover e nos unir numa só corrente de solidariedade, fraternidade e compaixão para dar apoio as vitimas e seus familiares, mesmo que a distancia, por orações.

    Que as crianças possam ser crianças, aproveitando o restante de inocência que ainda lhes resta, subindo em árvores e brincando de amarelinha. Jesus disse: “Deixai vir a mim as criancinhas porque delas é o reino dos céus!” Ele disse isso, porque elas são puras de coração e os adultos em sua visão deturpada da vida corrompem a fase mais bela que existe no ser humano.

    Que os pais possam ter mais tempo para seus filhos e se dedicarem mais ao lar e a convivência familiar salutar. Acompanhando seus filhos crescerem e alcançarem suas pequenas conquistas. Esforçando-se em dar bons exemplos ao invés de apenas dar conselhos vazios e sem expressão!

    Que os jovens possam ser mais conscientes de seu poder e força e direcioná-los para o bem. Não perdendo tempo com coisas que apenas lhe trarão remorso e tristeza. Mas sim, trazendo sempre um sentimento primordial, o de gratidão pela vida e por seus genitores que possibilitaram sua existência terrena. Viciando-se talvez, na utopia de um mundo melhor!

    Que os casais depois de passado o momento inicial de paixão que os unem, possam vivenciar o amor, o respeito e o companheirismo, construindo lares saudáveis e felizes!

    Que os idosos não sejam mais vistos como velhos e improdutivos, abandonados em asilos e casas de saúde e sim sábios e experientes, sendo reconhecidos e homenageados, podendo ofertar todo o seu conhecimento para as futuras gerações.

    Que os meios de comunicação possam ter profissionais mais conscientes e comprometidos com a ética e a moral. Pois nem tudo que é lícito convém. Que os espectadores também saibam refletir e discernir o que bom do que não é, e optarem apenas por aquilo que lhes fazem bem e lhes acrescentam coisas boas.

    Que todos possam ter um trabalho digno para conquistar o seu sustento. Não sendo obrigados como tantos pais a irem pedir esmolas nas ruas, fazerem acordo com traficantes para usarem seus filhos para vender drogas em troca de alimento ou mesmo caírem no vício como o alcoolismo por não terem mais esperança em uma vida melhor.

    Que os Templos religiosos não sejam preconceituosos e separatistas, que sejam realmente o local de comunhão com o Criador, onde possam acolher seus irmãos que sofrem, experienciando verdadeiramente o Evangelho de Jesus, o qual não se preocupara com os erros do outro, apenas em vivenciar a Lei do Amor em toda a sua plenitude.

    Que os cidadãos do planeta possam entender que moramos na mesma casa e que devemos todos cuidar muito bem dela, para que esta possa retribuir-nos com gratidão e abundância.

    Que os nossos dirigentes possam ter consciência de que são eleitos pelo povo e assim devem servir a eles com respeito e honestidade, não se sentindo acima da justiça, pois esta existe mesmo que seja a de Deus. As leis que regem o Universo são pautadas pela Lei de ação e reação, assim se fizerem o mal receberão fatalmente o mal, não existindo nunca a impunidade.

    Que possamos sair nas ruas como antigamente sem medo e os policiais sejam realmente vistos como mocinhos e não como bandidos.

    Que as instituições como ONGs, Poder Público e Privado e Grupos Representativos de Classes possam se juntar com um real interesse em prol da comunidade, e não de interesses da alguns poucos, cobrando propinas para a execução de projetos que visam facultar a diminuição das desigualdades sociais, educacionais e afetivas.

    Que os marginalizados possam ser vistos com compaixão e lhes possam ser dado o direito de saírem do submundo e viverem na superfície com cidadania e respeito.

    Que a boa arte seja valorizada e exaltada, pois nos aproxima do Céu!

    Que todos tenham o que comer e que nunca mais uma mãe precise ouvir seu filho gritar de fome e não ter o que lhe dar para saciá-la.

    Que todos consigam se livrar dos pesos e das sombras de sua alma. Perdoando-se e amando-se primeiramente para perdoar e amar seu próximo em seguida.

    Que todos possam entender que não existem doenças, apenas doentes. Que a fonte da doença e também da cura está dentro de cada um nós. Conhecendo-se a si mesmo e superando as sombras que residem dentro do seu ser, conhecerás o seu caminho para a cura!

    Enfim, que a esperança nunca morra e que todos possam se comprometer com o bem estar do seu próximo, pois não somos separados de ninguém, somos seres interdependentes, somos irmãos!

    Aquele que dá desinteressadamente é rico, visto que a chama do amor é fogo que arde e se espalha levando acolhimento e conforto àqueles que sofrem, trazendo abundância de paz e felicidade àqueles que o praticam!

    Myrella Brasil
    Publicado dia 28 de Janeiro de 2013, no Diário do Norte

Deixe uma resposta